A doação de comida parece ser uma oportunidade direta, tanto para pessoas com fome nas ruas, quanto para empresas com um problema de desperdício de alimentos. Por isso, em Santa Cruz do Sul, distante a 150 km da capital Porto Alegre, foi aprovado pela câmera de vereadores um projeto que autoriza restaurantes a doarem sobras de alimentos.

Embora nunca se tenha produzido tanta comida no mundo, mais de 820 milhões de pessoas passam fome em todo planeta. Por isso, o projeto de lei nº 14/L/2020 permite a doação de comida provenientes de cozinhas industriais, buffets, restaurantes, padarias, supermercados, feiras, mercados, entre outros.

A fome está aumentando em muitos países onde o crescimento econômico está atrasado, principalmente nos países de renda média e naqueles que dependem fortemente do comércio internacional de commodities primárias.

Logo, projetos como esse podem contribuir para uma melhor distribuição da comida.

Leia mais: Coronavírus, gestação e medo: entrevista com uma enfermeira e gestante

Santa Cruz do Sul: projeto aprova doação de comida

doação de comida
Santa Cruz do Sul (RS): aprovado projeto que autoriza restaurantes a doarem sobras de comida Foto – Pixabay

Alberto Heck (PT), autor do projeto destacou na sessão da Câmara da segunda-feira (22), que várias entidades que se ocupam de distribuir alimentos aos mais carentes:

“Existe o Grupo do Bem, o Comitê Solidário, agora também, a campanha dos empresários Com Vida e Sem Fome, além de outras tantas que atuam no combate à fome. Está na hora de constituirmos um Fórum destas entidades para convergir esforços e alavancar práticas em comum. Falta articulação nas ações de combate à fome, no município, como a atualização de cadastros e saber quem atende quem”, falou ele.

Bolsonaro autoriza a doação de alimentos que sobrarem nos restaurantes a pessoas carentes

A votação do projeto de lei da cidade de Santa Cruz do Sul, em Rio Grande do Sul vai ao encontro da proposta que também foi sancionada pelo presidente Jair Bolsonaro. A sanção foi publicada no início da madrugada da quarta-feira (24) no Diário Oficial da União (DOU).

Importante ressaltar que para a eventual doação, os alimentos precisam:

  • estar dentro do prazo de validade e nas condições de conservação especificadas pelo fabricante;
  • deverão estar dentro das regras sanitárias mesmo com danos à sua embalagem e com propriedades nutricionais seguras.

Muitos municípios já tomaram iniciativas que podem colaborar principalmente com o momento atual que vivemos, onde muitas pessoas estão na rua passando fome.

Leia mais: Esperança e sonhos: em meio a pandemia há sempre histórias surpreendentes

 

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here