Juros altos podem fazem o Brasil crescer cada vez menos e aumentar o desemprego; entenda o porquê disso

Mesmo com aumento da Selic para conter a inflação, Brasil ainda está no 1° lugar dos países com mais juros

São Paulo, quarta-feira, 18 de maio, por Cristiane Luzio Rodrigues — juros altos é a realidade dos brasileiros, que teve seu poder de compra extremamente reduzido. Sobretudo para tentar conter a inflação, o Banco Central vem aumentando, gradativamente, a taxa Selic, que está agora em 12,75% ao ano. Ao mesmo tempo que o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), conforme o acumulado dos últimos 12 meses, registra hoje 12,13%.

Em resultado deste cenário, o Brasil está no topo do ranking dos países com os juros mais altos. Ainda mais, juros mais altos que os da Rússia, que está enfrentando um conflito significativo para economia mundial. Desse modo, o Valor Diário traz aqui quais são os impactos negativos nos próximos anos, como, por exemplo, diminuição do crescimento do país e índice de desemprego.

Leia também: Aposentadoria do INSS pode diminuir muito; entenda aqui as novas regras de cálculo da reforma da previdência

Juros altos podem fazem o Brasil crescer cada vez menos e aumentar o desemprego; entenda o porquê disso (reprodução Canva)
Juros altos podem fazem o Brasil crescer cada vez menos e aumentar o desemprego; entenda o porquê disso (reprodução Canva)

Por que os juros altos não param de crescer?

Primeiro, a alta da inflação é um dos principais motivos para elevação dos juros no Brasil. Ou seja, com o IPCA a 12,13%, no acumulado de 12 meses, o Banco Central (BC) elevou mais uma vez a Selic, que agora está em 12,75%.

Em resultado a alta dos juros, o BC faz com que os créditos fiquem cada vez mais caros. Desse modo, a projeção é diminuição no consumo e, assim, conter a inflação. Portanto, descontando a inflação, os juros reais no Brasil ficam em 6,69%, o mais alto do mundo. Conforme matéria de Fábio de Castro, publicada no dia 14 de maio de 2022, no Uol, o ranking de juros reais (descontada a inflação), é o seguinte:

  • 1° Brasil: 6,69%;
  • 2° Colômbia: 3,86%;
  • 3° México: 3,59%;
  • 4° Indonésia: 2,39%;
  • 5° Chile: 1,84%;
  • 6° Rússia: 1,36%;
  • 7° Filipinas: 1,18%;
  • 8° África do Sul: 0,58%;
  • 9° Índia: 0,47%;
  • 10° Hungria: 0,37%.

Você também vai gostar: Player’s Bank Itaú: conheça a nova conta digital que rende 100% do CDI e tem cashback de 5%; entenda como conseguir

Como isso afeta o crescimento do país e os empregos?

Em síntese, a alta dos juros para interromper a inflação resulta na diminuição do crescimento do país e menos ofertas de emprego. Conforme comentário de Renan Pieri, professor da FGV, para o Uol:

“Esse movimento de alta de juros pode, sim, gerar menos crescimento nos próximos meses e trimestres. Porém, a inflação também é algo importante. A economia brasileira pode crescer, mas quando o custo de vida sobe, as famílias também sentem.”

Por fim, para ilustrar, assista este vídeo: “Entenda o que são juros reais (Dindim por Dindim #18)”, do Canal AMBIMA, do YouTube.

Confira mais: Educação Financeira; como a falta reflete de forma negativa na vida dos brasileiros; aprenda aqui como começar

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.