Dólar em alta: recupera queda e volta ao patamar R$ 5; saiba os motivos da alta volatilidade da moeda; confira

Em último pregão, dólar fecha em R$ 5,10, após payroll

São Paulo, segunda-feira, 9 de maio, por Cristiane Luzio Rodrigues — Dólar em alta novamente, retomando, assim, ao valor anterior, superior a R$ 5, recuperando a queda que vem ocorrendo frequentemente. Considerando que, em abril, a moeda norte-americana chegou à casa dos R$ 4,6. No início da manhã da última sexta-feira (6), dia de payroll, com os dados de emprego norte-americanos melhores do que o se esperava.

Em suma, o banco central americano, após os dados do payroll, vê o mercado de trabalho em alta. Em resultado, a expectativa é de redução da inflação e, também, aumento da taxa de juros. Desse modo, o Valor Diário mostrará as principais razões desta volatilidade que está ocorrendo na moeda americana, uma das mais fortes do mundo.

Leia também: Small Caps; saiba o que quais são essas ações e como ter grandes lucros com pouco dinheiro; confira mais

Dólar em alta recupera queda e volta ao patamar R$ 5; saiba os motivos da alta volatilidade da moeda; confira (reprodução Canva)
Dólar em alta recupera queda e volta ao patamar R$ 5; saiba os motivos da alta volatilidade da moeda; confira (reprodução Canva)

O que faz o preço do dólar oscilar tanto no Brasil?

Primeiro, a volatilidade do valor do dólar frente ao real se refere ao comércio referente importação e exportação de cada país. Ou seja, nada mais que a lei da oferta e demanda: quanto mais o Brasil exporta, mais a moeda cai; ao contrário, quanto mais importa, valor do dólar sobe, pois, está saindo mais moeda do país.

Logo após, um dos maiores motivadores é, sem dúvidas, a taxa de juros. Sobretudo, quando está em alta quer dizer que os investimentos aqui estão mais atrativos. Em resultado, investidores estrangeiros investem mais no país e, assim, o dólar aumenta.

Veja mais: Processo seletivo do IBGE, últimos dias; confira vagas com salários até R$ 3,1 mil; saiba como se candidatar

Os juros dos Estados Unidos também influenciam para o dólar em alta

Agora, dia 6 de maio, os Estados Unidos divulgaram relatório de emprego do país, demonstrando a criação de 428 mil novos empregos. Por oportuno, este relatório é divulgado, geralmente, toda primeira sexta-feira do mês, o então chamado Payroll.

Dessa forma, ainda que a inflação no país esteja alta, o resultado mostrou positivo no mercado de hoje, quando o dólar, frente ao real. Então, chegando com sua cotação na marca de R$ 5,10, o que não ocorria desde março.

Por fim, diante de todo cenário de crise mundial, abertamente exposto nos noticiários, a preocupação dos investidores é sobre a estagflação. Conforme reforçado em matéria do g1, publicada hoje, dia 6 de maio:

O que começa a ganhar corpo na lista de preocupações de investidores é o risco de recessão, que seria fruto do aperto rápido das políticas monetárias globais, que por outro lado poderiam não ser capazes de barrar a inflação. O resultado disso seria a estagflação, fenômeno que tradicionalmente beneficia o dólar.

Para saber mais sobre o mercado do dólar de hoje, assista este vídeo: “Minuto Touro de Ouro: Dólar cai e mercados reagem à alta da inflação nos EUA”, do canal ‘Jovem Pan News’, do YouTube.

Leia mais: Marcopolo (POMO4): empresa tem lucro de R$98 milhões no primeiro trimestre e reverte prejuízo

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.