Índice IGP-M 2021: Saiba mais sobre o aumento do Aluguel!

Entenda o que é IGP-M e veja os dados atualizados dos últimos 12 meses

O índice IGP-M, teve aumento em comparação aos últimos 12 meses. Por isso, hoje 11/11, o Valor Diário te explica sobre esse índice e como é feito o cálculo.

Sobre o IGP-M

Primeiramente, o IGP-M (Índice Geral de Preços do Mercado), teve aumento de 0,64% em outubro, depois de ter tido queda também de 0,64% no mês anterior. Assim, com esse resultado, se acumula alta de 16,74% neste ano, e 21,73% em 12 meses. Já que em outubro de 2020, o índice teve alta de 3,23% e 20,93% em 12 meses.

O Coordenador do Índices de Preços, André Braz, afirma que “a queda menos intensa registrada no preço do minério de ferro (-21,74% para -8,47%) e o aumento do preço do diesel de 0,00% para 6,61%, sem considerar o aumento anunciado dia 25 de outubro, no qual contribuiu para aceleração da taxa do IGP-M”.

Índice IGP-M
Índice IGP-M 2021: Saiba mais sobre o aumento do Aluguel! Foto: Pexels

O que é IGP-M?

Essa sigla remete ao Índice Geral de Preço do Mercado, no qual anuncia-se todo mês pelo FGV IBRE. Assim, desde 1940 se usa esse indicador como uma medida que abrange as movimentações de preços, de forma que não englobe não só diferentes atividades, mas também as diferentes etapas do processo produtivo.

Logo, o IGP é um indicador mensal referente às atividades econômicas do país, em que engloba os principais setores produtivos. Já o IGP-M, é o que capta e filtra as informações sobre os diversos preços do dia 21 do mês x até o dia 20 do mês seguinte que é apurado.

Usa-se esse índice (IGP-M) como fórmula paramétrica dos reajustes de tarifas públicas, no caso de energia e telefonia, também em contrato de prestação de serviços e na área imobiliário para reajuste de contato de aluguéis, além dos planos de saúde e educação

Como se calcula o IGP-M?

Assim como o cálculos de outros indicadores (IGP-10 e IGP-DI), o cálculo do IGP-M é considerado a variação dos preços de serviços e bens, assim como o de matérias-primas que são utilizadas na produção industrial, construção civil e agrícola.

Logo, o cálculo é feito por meio de uma média aritmética ponderada da inflação ao consumidor (IPC), do produtor (IPA) e construção civil (INCC).

  • IPC – Índice de Preços ao Consumidor;
  • IPA – Índice de Preços ao Produtor Amplo;
  • INCC – Índice Nacional de Custo da Construção.

Cada índice tem um peso, no qual corresponde a parcela da despesa interna bruta, com cálculo baseado nas Contas Nacionais, distribuídas assim:

  • 60% para o IPA;
  • 30% para o IPC;
  • 10% para o INCC.

Assim, o IPA é o índice que faz o monitoramento das variações de preços que são “sentidos” pelo produtor, já o IPC faz o acompanhamento de como os preços que chegam ao consumidor final se comportam, e o INCC mostra os custos para a construção civil, com uma observação que considera as variações de preços da mão de obra com qualidade, bem como dos materiais de construção.

Leia também: Combustível caro? Saiba por que não para de subir

Educação Financeira: COMO ECONOMIZAR GANHANDO 2 MIL REAIS?

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.